lifestyle

19 “adultices” antes dos 19

nem tão adultas assim*

Acho que – finalmente – estou me libertando da pressão que eu mesma coloco em mim pra cumprir prazos (com o blog ‘???’) e pra criar coisas que sejam realmente conteúdo. De tanto me preocupar com essas coisas esqueci que acima disso o blog é algo bem pessoal, é um registro de histórias, sentimentos, imagens, da minha vida. O que vier depois… bom, isso a gente vê depois.

O ser humano gosta de criar metas, né? De se desafiar, tentar fazer coisas que nunca fez. E assim nossa vida muda do rotineiro ao “uau, fiz alguma coisa diferente”. É a mesma história de sempre, e não é diferente comigo (que traço metas desde os meus 10 anos).

Amo desafios, coisas difíceis e que pareçam impossíveis, mas não é por isso que resolvi fazer 19 coisas até meu aniversário de 19 anos. Decidi fazer esse “desafio” com o tema principal de “CAI NA REAL, você já é adulta e precisa viver como tal: independente”. Ok, isso não significa que vou dar um jeito de ir morar sozinha em menos de 3 meses, significa que nesse período de tempo preciso adquirir hábitos ou fazer coisas que me coloquem mais perto de uma vida adulta, autônoma, independente. Ps.1: não é sobre estado de espírito e um dia ainda tenho que escrever sobre eu ter o espírito de uma eterna criança. Ps.2: Não esquece da diversão, Nat.

Tudo se resume a: Quer fazer algo? Então comece, não espere alguém te lembrar do que você quer fazer.

 

1-matricial
de 2015, estudando pontos focais em fotografia

 

Nunca fui muito do tipo que busca conquistar coisas que podem ser concluídas em apenas um momento, com um só objetivo… o que é contínuo demanda mais esforço, leva as experiências e ganhos pro resto da vida, é mais legal. Certo!?

 

a maioria dos itens na lista abaixo se baseiam em coisas que parei de fazer, mas que thank god descobri que fazem parte de mim, e que, sim, quero voltar a fazer

19 coisas para fazer antes dos 19 anos

~~medinho

organizadas em grau de dificuldade e prioridades diretamente proporcionais

  • os mais difíceis primeiro – até o 6th
  • os mais “tangíveis” depois
  1. Começar – e não parar – a lutar pelo meu futuro. E quando digo lutar por um futuro, considerando quem eu sou, fica muito claro que tudo se resume aos estudos. Se tem algo que tem sido difícil ultimamente é estudar para o vestibular. Não causa tanta excitação “revisar” aquilo que você já estudou 2, 3 vezes, quanto as matérias que você nem sabia que existiam ao iniciar o curso na faculdade. Não é fácil, mas é necessário.
  2. Cuidar da saúde mental. Seria este o mais difícil? Talvez. Logo após perder direito ao convênio (droga de sistema de saúde) ficou impossível continuar com a terapia. Até hoje não achei outro método mais eficiente de não perder as estribeiras que não seja deitar e ficar olhando pro teto, e como não é possível ter grandes mudanças estando parada, PRECISO arrumar um outro jeito de ficar bem comigo mesma.
  3. Alimentação saudável. Ou, começar a controlar a única coisa que não tenho paciência: consumo de comida. Apreciar o preparo diário de tanta comida – ao invés de comer qualquer bolacha no armário – já é um bom começo. Só eu não tenho paciência com essas coisas?
  4. Fitness lifestyle, really? Not at all. Ta aí uma coisa que comecei a me importar nos últimos tempos: ter um corpo saudável. Como meu biotipo não é ala magrinha, quando criança, coloquei na minha cabeça que tudo bem ter o meu buchinho. Hoje as ideias estão diferentes: tudo bem ter minhas gordurinhas, mas quero ser o mais saudável que meu corpo permitir. E o melhor: aprendi a amar incondicionalmente o exercício físico.
  5. Show love for yoursef, make you beauty. Desde a metade do ensino médio – quando meu tempo se tornou caótico – não tenho cuidado muito bem de mim, e sinto que minha mente ainda vive naquela época: caótica, perdida, confusa e… bem, bagunçada. Okay que não é beem assim, mas o negócio é: parei de cuidar da minha aparência e ainda estou levando tudo pelos cotovelos igual naquela época. Mudança, já!
  6. Viva o AGORA! Enjoy the moment. Contraditoriamente, carreguei comigo aspectos do passado enquanto que no presente estava preocupada com o futuro. Doido né? Mas isso tem que parar. Não é atoa que o tempo é dividido nestas 3 partes: cada uma tem sua importância e precisa ficar nela.
  7. Lidar com o florestalis como UM BLOG. Não é site de conteúdo, não é texto de auto-ajuda, não é divulgação de poema. É de tudo um pouco kssk, porém, muito pessoal.
  8. FOTOGRAFE +. O que mais procrastino desde sempre? Pois é. E o pior de tudo é que faço isso por pura vergonha. Fotografar mais não só trará mais fotinhas para postar, mas irá melhorar a forma como lido com o mundo, com as pessoas e principalmente comigo.
  9. Toque como uma verdadeira musicista. Brincadeiras a parte, essa é a coisa que deixei de me esforçar faz o tempo e a que mais me faz falta.
  10. Aprender a andar de bicicleta, porque não pode virar adulto e não saber pedalar aqui e acolá.
  11. Começar a escrever meu livro, pois, como todos os amantes da escrita “as histórias nunca foram só pra nós, mas para o mundo”. Generalizing, its not real.
  12. Subir de nível pra jogar as ranqueadas 5×5 e 3×3 flex (league of legends). Não tem nem o que comentar nessa, quem sabe, sabe. rs
  13. Começar a seguir ordem de leitura para a DC Rebirth. Se essa não é a coisa mais esperada para o Ritchie eu não sei o que é. DC Rebirth é a nova geração de histórias em quadrinhos da DC, e tudo o que dá pra dizer sobre isso é: se esforça pra ler, sério.
  14. Voltar às origens animê: Naruto Shippuden me aguarda (desde muitos anos atrás).
  15. Desenhar, sempre. E qual o real motivo? Te conecta com seu interior, desenvolve hand skills e é uma terapia, mais que a escrita, menos que a música (nas minhas perspectivas).
  16. Aprender novas línguas. Comunicação não é o meu forte e é por isso que GOSTO TANTO dessa área. Frânces e alemão são as da vez (agora que sei um pouco do inglês).
  17. Sair com mais frequência. Não tenho espírito nômade, mas necessito sair de casa o tempo todo. Quando não o faço, fico doida.
  18. Reenviar todas as fotos que tirei <3. The most difficult? Maybe. Meu complexo de perfeccionismo m atrapalha bastante na parte profissional em fotografia. Se deixar, fico 3 horas editando uma foto sequer. Então… quero reenviar as fotos que tirei pras pessoas, e assim ficar mais tranquila, em paz comigo.
  19. Mudar o quarto é algo constante na minha mente: parece que nunca estou satisfeita. Mas desta vez é diferente, só quero que atenda às minhas necessidades minimamente artísticas e intelectuais. (por quê comecei a falar difícil do nada? foi automático, n tenho culpa).

 

Sem consolo de: tudo bem não conseguir fazer tudo. Sem essa. Você consegue. Só vai.

 

 

 

os livros certos? o que vale a pena?

Fotógrafa por amor, curte games, batata frita e sorvete. É no mundo das palavras, da música e da arte visual que vive a maior parte de seu tempo (quando não está estudando).

quero falar algo!

%d bloggers like this: